Active Woman PlusTagged , , , , , ,

Mioma uterino: o que ele faz com o corpo da mulher?

Mioma uterino é um tumor não-canceroso do útero, que aparece frequentemente durante os anos férteis. Também é conhecido como leiomioma (leio= liso; mio= músculo; oma= tumor benigno) e não estão associados a um risco aumentado de câncer uterino.

Os miomas variam em tamanho, desde plântulas, indetectáveis ​​pelo olho humano, até massas volumosas, que podem distorcer e aumentar o útero. Em casos extremos, múltiplos miomas podem expandir o útero.

Muitas mulheres têm miomas uterinos em algum momento durante suas vidas, mas a maioria não sabe por não apresentar sintomas. Sendo assim, o médico pode descobrir acidentalmente, durante um exame pélvico ou ultrassonografia pré-natal.

Sintomas

Os sintomas podem ser influenciados pela localização, tamanho e número de miomas. Nas mulheres que apresentam sinais, os mais comuns incluem:

  • sangramento menstrual intenso;
  • períodos menstruais que duram mais de uma semana;
  • pressão ou dor pélvica;
  • micção (vontade de urinar) frequente;
  • dificuldade em esvaziar a bexiga;
  • prisão de ventre;
  • dor nas costas ou nas pernas.

Raramente, o fibroma pode causar dor quando excede o suprimento de sangue e começa a morrer.

Tipos de mioma

Miomas são geralmente classificados por sua localização. Os de tipo intramurais crescem dentro da parede muscular do útero, os submucosos incham na cavidade uterina, e os subservientes projetam-se para o exterior do útero.

Consulte um médico se tiver:

  • dor pélvica que não desaparece;
  • períodos excessivamente pesados, prolongados ou dolorosos;
  • sangramento entre os períodos;
  • dificuldade em esvaziar sua bexiga.

Causas

Os médicos não sabem a causa dos miomas uterinos, mas a pesquisa e a experiência clínica apontam para esses fatores:

  • Alterações genéticas – muitos miomas contêm alterações nos genes que diferem das células normais do músculo uterino;
  • Hormônios – estrogênio e progesterona, dois hormônios que estimulam o desenvolvimento do revestimento uterino durante cada ciclo menstrual, em preparação para a gravidez, parecem promover o crescimento de miomas, que contêm mais receptores de estrogênio e progesterona do que as células normais do músculo uterino;
  • Outros fatores de crescimento – substâncias que ajudam o corpo a manter os tecidos, como o fator de crescimento semelhante à insulina, podem afetar o crescimento dos miomas.

Os médicos acreditam que os miomas uterinos se desenvolvem a partir de uma célula estaminal no tecido muscular liso do útero (miométrio). Uma única célula se divide repetidamente, criando eventualmente uma massa firme e emborrachada distinta do tecido adjacente.

Os padrões de crescimento dos miomas uterinos variam – eles podem crescer lentamente ou rapidamente, ou podem permanecer do mesmo tamanho. Muitos os quais estão presentes durante a gravidez encolhem ou desaparecem após o período gestacional, quando o útero retorna a um tamanho normal.

Fatores de risco

Além da fase gestacional, outros fatores podem ter impacto no desenvolvimento dos miomas, o que inclui:

  • hereditariedade – se sua mãe ou irmã tem miomas, você corre maior risco de desenvolvê-las;
  • raça – mulheres negras são mais propensas a ter miomas, em idade mais jovem e de maior proporção do que em outros grupos raciais;
  • fatores ambientais: início da menstruação em idade precoce; uso de controle de natalidade (pílula), obesidade, deficiência de vitamina D, ter uma dieta maior em carne vermelha e menor em vegetais verdes, frutas e laticínios e ingestão de álcool.

Complicações

Embora os miomas uterinos geralmente não sejam perigosos, podem causar desconforto e levar a complicações, como anemia por perda de sangue intensa.

Por que as chances de ter mioma diminuem na menopausa?

“A causa do mioma é desconhecida. O que se sabe é que a progesterona e o estrogênio influenciam o seu desenvolvimento. Tanto que com a chegada da menopausa, e a queda na produção de hormônios estrogênicos, o mioma costuma encolher e até desaparecer. Durante a gravidez, ao contrário, sua tendência é aumentar. Os fatores de risco são a idade, histórico familiar, origem étnica e obesidade.”

— SOGESP (Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo)

Gravidez e miomas

Miomas geralmente não interferem na gravidez. No entanto, é possível que miomas – especialmente os submucosos – possam causar infertilidade, aborto expontâneo, descolamento prematuro da placenta, restrição do crescimento fetal e parto prematuro.

Prevenção

Embora os pesquisadores continuem estudando as causas dos tumores fibróides, poucas evidências científicas estão disponíveis sobre como preveni-las. A prevenção de miomas uterinos pode não ser possível, mas apenas uma pequena porcentagem desses tumores requer tratamento.

Mas, ao fazer escolhas saudáveis no estilo de vida, como manter um peso normal e comer frutas e verduras, você pode diminuir o risco de miomas.

Já teve miomas? Eles eram doloridos ou não apresentavam sintomas? Deixe seu comentário!

Leia também: falência dos ovários após os 40 ♥

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *